Growth Hacking: Aprenda como usar o Growth Hacking para alavancar sua Startup

Antes de explicar como usar o growth hacking para alavancar sua startup, preciso começar do começo. Portanto, vou explicar primeiro o que é Growth Hacking, dar alguns exemplos e então apresentar casos reais de uso e sucesso para você se inspirar e aplicar, de forma bem prática ao seu negócio.

Atenção: Essa leitura será longa e, além deste guia, temos mais 10 artigos completando a série sobre como usar o Growth Hacking para alavancar sua startup. Vamos nessa?

O que é e como usar o Growth Hacking para alavancar sua startup

A melhor maneira de entender o que é Growth Hacking é entender primeiramente o que hackers fazem e o que significa o termo hacker. Um hacker é uma pessoa que está mais preocupada em alcançar um objetivo que seguir um processo ou conjunto de regras. Em outras palavras, um hacker se preocupa mais com a necessidade de realizar e alcançar a meta do que como realizar e alcançar essa meta. Com isso, os hackers costumam encontrar meios inovadores de fazer as coisas com objetivo de alcançar as suas metas.

Por exemplo, imaginemos um hacker que queira acessar um computador sem autorização. Na verdade, não importa muito como ele faz isso(normalmente ele já não o faz seguindo um conjunto de regrinhas pré-criadas), o que importa é que, independentemente da forma que ele faça, ele consiga acessar aquele computador. Isso se dá porque os hackers estão mais preocupados com o destino que com o caminho. Ou seja, eles estão mais preocupados em fazer o que precisa ser feito ao invés de se preocuparem com guias e métodos pré-estabelecidos para alcançar o destino desejado. Por isso também, hackers tendem a ser bem “anti-autoritários”, ou seja, eles não costumam se dar muito bem em grandes empresas que possuem a expectativa sobre um determinado comportamento que seja de acordo com determinadas regras.

Growth Hacker é um hacker que tem como objetivo principal crescer o número de usuários e clientes de um determinado produto. Muitas pessoas consideram crescimento de usuários uma função majoritária do marketing, ou até que somente através do marketing é possível alcançar esse crescimento de novos usuários. Bem, isso não é bem verdade. Na verdade, mais e mais nos últimos anos, vemos que novos produtos crescem do zero a milhões de usuários usando pouquíssimo marketing no final das contas.

Há toneladas de decisões que não tem praticamente nada a ver com marketing e que afetam o crescimento de usuários. Construir um produto viral, por exemplo, é a mais óbvia delas, mas há muitas outras. Assim sendo, não faz muito sentido colocar o time de growth hacking junto com um departamento de marketing mesmo que possa parecer funções interdisciplinares que percorrem tanto o marketing quanto o desenvolvimento.

A idéia dessa ilustração é mostrar que, para cada decisão que uma startup tomar, o Growth Hacker deve perguntar:

“Em que isso vai impactar no crescimento?”

Por exemplo, quando o Facebook ainda estava dando seus primeiros passos, eles criaram um time multi-disciplinar de crescimento liderado por um Growth Hacker que circulava por vários outros times, incluindo Marketing, BizDev, Produto, Finanças e até mesmo RH. Entre muitos outros projetos, o time era responsável por fazer o Facebook disponível em todas as línguas através de maneira colaborativa, a implementação de um robusto sistema de importação de contatos de e-mail e até mesmo desenvolvendo um “Facebook Lite” que posteriormente foi descontinuado.

Durante os últimos anos, verdadeiras inovações e boas práticas foram desenvolvidas por Growth Hackers. Caras como Noah Kagan(AppSumo, Mint, Facebook), Mike Greenfield(Circle of Moms, LinkedIn), Dave McClure(500 Startups, PayPal) e muitos outros desenvolveram técnicas pioneiras focadas em viralização, e-mails, otimização para buscas e também para marketing.

Bem, para explicar na prática como funciona o Growth Hacking, gostaria de apresentar uma série dividida em 10 exemplos reais de como usar o Growth Hacking para alavancar sua startup. São histórias reais de startups bem conhecidas no mundo inteiro que utilizaram essa técnica para escalar seu negócio. Como meu objetivo é aprofundar um pouco mais no tema, resolvi dividir este artigo em uma série com 10 partes contando a história de cada uma dessas startups e seus respectivos casos de uso que você mesmo pode aplicar na sua startup. Veja a série completa:

1. Bônus por recomendação do Paypal
Através do pagamento de $10 para cada novo cliente e $10 para cada recomendação feita por um cliente, o Paypal foi capaz de hackear seu crescimento vespertino chegando perto das dezenas de milhões de usuários até encerrar o oferecimento desse bônus. Leia o estudo de caso completo →

2. Hotmail Tagline
Com o Hotmail, sempre que um usuário enviava um e-mail para outra pessoa, havia uma mensagem no rodapé do e-mail com algo como “Esse e-mail foi enviado via Hotmail, cadastre-se no Hotmail agora” e “Faça sua conta gratuita no Hotmail”Leia o estudo de caso completo →

3. A integração do Airbnb no Craigslist
Através de uma engenharia reversa de postagens no Craigslist e automatizando este processo de “cross-post” de sua listagem no Craigslist, o Airbnb foi capaz de hackear seu crescimento próximo das dezenas de milhões de usuários. Leia o estudo de caso completo →

4. Lista de espera do Mailbox
Através da criação de um incrível vídeo de lançamento combinado com uma interface bem bacana mostrando quantas pessoas estavam a frente de você na lista de espera, Mailbox criou uma enorme repercução e atenção para seu produto. Em apenas seis semanas, Mailbox já tinha mais de um milhão de usuários cadastrados esperando para utilizar o serviço. Leia o estudo de caso completo[em breve] →

5. Programa de recomendações do Dropbox
Muito semelhante ao sistema de convites do Paypal, o Dropbox permite que usuários convidem seus amigos em troca de mais espaço. Isso fez com que o Dropbox crescesse de 100mil usuários para nada menos que 4 milhões de usuários em menos de dois anos. Leia o estudo de caso completo[em breve] →

6. Sugestão de seguidores do Twitter
Uma vez que o Twitter descobriu que usuários que seguem mais de 30 pessoas são aqueles que se tornam ativos na plataforma, eles otimizaram a experiência do usuário para encorajar este comportamento, aumentando a base de usuários ativos. Leia o estudo de caso completo[em breve] →

7. Cross-posting do Instagram
Por decidir ser abrangente com serviços como Twitter e Facebook, o Instagram foi capaz de ampliar sua distribuição para plataformas bem grandes com a finalidade de acelerar o crescimento do seu serviço quando começou. Leia o estudo de caso completo[em breve] →

8. Auto-seguir do Pinterest
Ao cadastrar-se no Pinterest, você automaticamente passa a seguir um grupo de usuários de alta qualidade. Isso ajudou muito a resolver um problema do “início frio”, onde você precisa sair buscando pelo serviço os boards e pessoas para seguir. Ao invés de deixar o novo usuário solto na plataforma, o Pinterest oferece um sample de usuários de alta qualidade com conteúdo de qualidade imediatamente no feed dos novos entrantes. Leia o estudo de caso completo[em breve] →

9. Intepretação liberal do Youtube a respeito do DMCA(Digital Millennium Copyright Act)
O Youtube tentou várias táticas para se diferenciar dos seus concorrentes, e, no final, o crescimento dele se deu exatamente na métrica que realmente importava, que era a conversão de virais em usuários. Leia o estudo de caso completo[em breve] →

10. A estratégia de SEO e conteúdo do Mint
O Mint focou em construir um blog bem focado e personalizado sobre finanças com conteúdo rico que se comunicasse com novos profissionais que se sentiam negligenciados. Eventualmente, o blog do Mint se tornou o principal blog sobre finanças pessoais e direcionou um grande tráfego para seu serviço. Os infográficos e artigos populares se tornaram bem frequentes no Digg, Reddit, etc. Leia o estudo de caso completo[em breve] →


[Bônus] Acompahe os 50 melhores blogs do mundo sobre Growth Hacking
Foi difícil, mas após pesquisar bastante várias listas de blogs sobre Growth Hacking, achei uma das melhores listas de blogs sobre como usar o Growth Hacking para alavancar sua startup. Vários são de empreendedores de grande sucesso no mundo. Vale a pena adicioná-los ao seu RSS. Veja a lista completa →


Créditos da série sobre Growth Hacking
O conteúdo dessa série foi pesquisado, estudado, revisado e traduzido baseado nas fontes a seguir: Growth Devil, Quora I, Grow Hack, Kiss Metrics e Quora II

 

Bônus: Um artigo super completo sobre Growth Hacking

Se você se interessou pelo assunto, não deixe de conferir este artigo aqui mesmo no Vida de Startup. Nele, você poderá acompanhar ao menos 6 cases clássicos e consagrados de Growth Hacking, um aprofundamento em sua definição e como aplicar um processo de Growth Hacking no seu negócio. Com certeza vale a pena conferir »


Previous page Next page