O que um CEO faz em uma Startup

Tempo de leitura: 5 minutos

O glamour envolvendo startups é notório. Eventos, palestras e entrevistas para revistas e jornais parecem compor o dia a dia dos fundadores. Quando você pensa em um CEO, muito provavelmente a imagem de figuras lendárias do mundo da tecnologia, como Steve Jobs, Bill Gates ou Mark Zuckerberg, podem vir a mente. Mas, afinal de contas, o que faz um CEO?

O CEO tem basicamente cinco grandes áreas de responsabilidades: desenvolver e comunicar a visão da empresa, executar o modelo de negócios da empresa, levantar capital, desenvolver talentos e trabalhar com o conselho.

Visão da empresa

O principal papel do CEO é garantir que todos na empresa estejam na mesma página. É muito importante ter uma visão clara do que a empresa é e do que não deve ser. Uma visão definida não é o bastante. Para que esta clareza de propósito tenha algum impacto, é necessário que o CEO comunique esta visão com o time e os investidores.

Criar uma história que vai inspirar todas as pessoas envolvidas com a empresa é a tarefa mais desafiadora que o CEO vai enfrentar. Essa história vai precisar ser refinada e alterada ao longo da evolução da empresa. Com essas mudanças de curso, é necessário manter todo o time alinhado com cada novo rumo que a empresa tome.

Levantar capital

O CEO vai ser o principal ponto de contato entre os investidores e a empresa. Seja na hora de adicionar novos investidores ou no relacionamento com os que já estão a bordo. Fazer pitches e preparar apresentações para levantar capital fazem parte das atribuições do cargo. Fazer networking constante com potenciais investidores também é papel do CEO.

Esta responsabilidade não significa de modo algum que o CEO será o único envolvido no processo. Todos os fundadores e os investidores atuais são essenciais para o sucesso de uma rodada de captação. O CEO precisa orquestrar todos os esforços.

Desenvolver talentos

Sua startup vai morrer ou viver pelo time que você conseguir montar. É imperativo que o CEO esteja sempre pensando em como melhor usar e desenvolver os talentos que a empresa tem, assim como adquirir novos talentos. Isto não significa que o CEO deva ser responsável pelo departamento de RH da empresa mas, sim, que ele deva dedicar uma atenção especial a esta área da empresa.

Desenvolver uma cultura sólida é uma boa ferramenta de garantir que a equipe inteira tenha a melhor performance possível. O CEO passa a ser o guardião dessa cultura e tem como responsabilidade garantir que os membros do time tenham um perfil que se adeque à empresa.

Muitas vezes contratar um profissional excelente, mas que não se encaixa na cultura da sua empresa, pode ser mais prejudicial do que benéfico. Uma pessoa pode influenciar negativamente a performance de um time inteiro.

Definir a cultura não é papel exclusivo do CEO. Os fundadores da empresa e os primeiros membros da equipe tem um grande papel em moldar esta cultura. Cabe ao CEO garantir que os valores não se diluam a medida que o time cresça.

Trabalhar com o conselho

O Conselho tem uma grande influência no destino da empresa. Ele pode ajudar dando suporte ao CEO na criação de uma estratégia consistente para empresa, além de servir como principal fiscal da performance da direção da empresa.

Reuniões periódicas para discutir os últimos acontecimentos da empresa e para acompanhar as metas globais da equipe são a principal maneira pela qual o conselho toma forma. Cabe ao CEO preparar e liderar essas reuniões assim como criar os materiais que vão ser passados para os membros do conselho.

É muito comum a visão equivocada de que o CEO é o “dono” da empresa e que, portanto, não tem um “chefe”. Na prática, o conselho é o “chefe” do CEO e tem o poder de demiti-lo.

Os membros do conselho devem ser escolhidos de modo a servirem como fonte de apoio para o CEO. É comum ele procurar membros do conselho para se orientar em relação a problemas específicos de domínio do conselheiro.

Execução

No começo de uma startup, usualmente os fundadores e o CEO vão ter papéis operacionais e estratégicos. À medida que a companhia cresce, é responsabilidade da diretoria ir se “demitindo” de cada papel operacional que ocupa para que a empresa ganhe escala. Isto não significa que o CEO deve apenas trabalhar no nível macro da empresa. É trabalho dele converter a visão da empresa em um plano executável e supervisionar a execução deste plano.

O CEO vai formatar junto com a diretoria os processos fundamentais que vão formar o “sistema operacional” da empresa. E cabe a ela constantemente refinar e monitorar esses processos.

Eu acredito que a melhor liderança é aquela ditada do front. Só consegue ser bom general quem já foi soldado. Estar em sintonia com o dia a dia da operação da empresa é essencial para poder tomar as melhores decisões.

Quando falamos de diretores executivos de grandes empresas, na maioria dos casos, estamos falando de pessoas que foram preparadas por muitos anos para assumir essa responsabilidade. Em startups, o mais comum é termos um CEO de primeira viagem que vai crescer junto com a empresa. Ser CEO de uma startup é estar preparado para lidar com o caos característico deste tipo de empresa. Nenhum curso de MBA ou “mentoria” vai te preparar para essa responsabilidade. Liderar uma startup é uma experiência rica e a melhor maneira de ter sucesso é aprender fazendo.

 

Sobre Edmar Ferreira

Edmar Ferreira é CEO da Rock Content, pioneira em Marketing de Conteúdo no Brasil. Membro ativo e um dos fundadores do San Pedro Valley, a maior comunidade de startups brasileiras. Leu 100 livros em 2015 e vai criar um app por mês em 2016.

  • Gostei do texto. Sinta-se feliz, pois foi-me útil.

  • Gostei do texto, achei bastante útil, poderiam fazer essa mesma abordagem explicando o papel do COO. 😉

  • Excelentíssimas dicas..

    Continue com textos BONS como este.. 🙂

  • Celso Gonçalves Dias Junior

    Cara, muito massa. A propósito, sou teu cliente. Mas me diga uma coisa: como consegue ler tanto assim???!!! Inveja!